Horário de atendimento:
Segunda à Sexta: 9h às 12h / 13:30h às 18h.
Sábados: 9h às 12h / 13h às 16h.

Notícias do mercado imobiliário

SP deixa de ser um dos mercados imobiliários mais frios do mundo


No balanço de 2017, os preços de moradia ajustados pela inflação caíram 1,5% na cidade, muito menos do que os 5,5% de queda registrados em 2016.

Os preços de moradia continuam em declínio na cidade, quando ajustados pela inflação.

A queda no 4º trimestre de 2017, por exemplo, foi de 0,78% em relação ao trimestre anterior.

Mas no balanço de 2017, os preços caíram 1,50%, muito menos do que os 5,50% de queda registrados em 2016.

“Os preços de moradia no Brasil seguem em queda, apesar de que em ritmo mais lento, em meio a condições econômicas em melhora gradual”, diz o relatório.

Na conta sem ajuste pela inflação, o mercado imobiliário paulistano já demonstra alta dos preços de moradia de 0,36% na conta trimestral e 1,40% na base anual.

Com ajuste pela inflação, São Paulo é o 11º mercado imobiliário mais fraco dos 45 analisados. Sem ajuste pela inflação, é o 13º mais fraco.

Mundo

Quando se olha para o cenário global, 30 mercados tiveram alta e apenas 15 tiveram queda no ano passado dos 45 analisados.

Quando a medida é o ímpeto do momento, 22 estão ganhando força e 23 estão perdendo.

“É surpreendente que o ímpeto não tenha se enfraquecido mais, já que nos últimos três trimestres ele estava significativamente mais fraco”, diz o relatório.

A Europa, que vem de uma série de dados econômicos positivos, segue em destaque no levantamento com um mercado “super vibrante” e três dos cinco resultados mais fortes.

Os mercados imobiliários mais quentes do mundo, na conta ajustada pela inflação, são Islândia (alta anual de 12,88%), Hong Kong (12,81%), Irlanda (11,92%), Macau (9,24%) e Montenegro (8,59%).

A China, que havia ficado em primeiro lugar no ano passado, agora mostra fraqueza maior devido a “políticas de aperto regulatório e monetário que impactam desenvolvedores e compradores especulativos”, diz o texto.

De forma geral, há variação enorme entre os mercados da região da Ásia-Pacífico e das Américas, e uma fraqueza cada vez maior nos países do Oriente Médio.

O mercados mais fracos do planeta em 2017, também com ajuste pela inflação, foram Egito (queda anual de 11,49%), Catar (-10,43%), Kiev na Ucrânia (-7,97%), Mongólia (-5,61%) e Rússia (-5,48%).




Fonte: EXAME

27/04/18

Últimas notícias